Câmara de Cuiabá ameaça exonerar 400 servidores após a suspensão de repasse

Justiça suspende suplementação de R$ 6,7 milhões.

em 13/09/2017

O presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Justino Malheiros (PV), ameaça promover uma demissão coletiva, após a Justiça de Mato Grosso e o Tribunal de Contas do Estado proibirem o uso dos R$ 6,7 milhões repassados pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB). Justino menciona que poderá demitir cerca de 400 servidores comissionados se as decisões que cancelaram a suplementação milionária forem mantidas. “Se esse valor não for liberado, corre o sério risco de a Casa parar e teremos cerca de 400 pessoas desempregadas", diz o presidente da Câmara.

Justino ressalta que o repasse de R$ 6,7 milhões do Executivo seria feito em quatro parcelas e destinado a quitar a folha de pagamento dos servidores públicos até o final deste ano.  Agora, sem o repasse, ameaça demitir praticamente todos os comissionados. Se isso vier a ocorrer, deverão ficar apenas 80 servidores no Legislativo Cuiabano.

A prefeitura deverá ingressar com ação para tentar rever a decisão, em primeira instância, que suspendeu o pagamento à Câmara. A anulação foi proferida pelo juiz Luís Aparecido Bertolucci Júnior, na última quarta (06) e acata integralmente ação movida por Valfran Miguel dos Anjos e parcialmente a do vereador Felipe Welatton (PV), que pedia também o afastamento do prefeito.

Ouça a reportagem de Dalila Rodrigues:

Áudio

Tags

Deixe seu comentário!


Mais Notícias