Capital

CPI libera ex-prefeito de depor e aprova convocação de 10 em Cuiabá

Bussiki disse que convocações devem ser pertinentes à investigação.

em 07/12/2017

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) na Câmara de Cuiabá definiu a convocação de 9 testemunhas. Também foi aprovado o “convite” para que o prefeito preste depoimento aos membros da comissão. A sessão da CPI ocorreu no plenário da Câmara de Cuiabá. Também ficou definido que as reuniões serão abertas para a presença da imprensa e da sociedade. 

Vão prestar depoimento à comissão o ex-governador Silval Barbosa; o servidor da Assembleia Legislativa, Valdecir Cardoso de Almeida, que instalou a câmera que gravou deputados estaduais recebendo dinheiro no Palácio Paiaguás; Sílvio Correa, ex-chefe de gabinete de Sílval; Marco Polo Pinheiro, irmão do prefeito de Cuiabá; Wilson Rodrigues, delegado da Polícia Federal; Allan de Oliveira e Marcelo Pimenta; agentes da Polícia Federal; Allan Zanatta, ex-secretário de Indústria e Comércio; e Alexandre Peres, perito particular que analisou gravação de conversa entre Zanatta e Sílvio Correa;

Já o prefeito de Cuiabá foi convidado a depor, já que a Lei Orgânica do Município proíbe a convocação do chefe do executivo por parte do legislativo. Os vereadores definiram que Emanuel será o último a ser ouvido, caso atenda ao convite. Segundo o vereador Diego Guimarães (PP), a CPI seguirá o Código de Processo Penal, que prevê que o réu é o último a se manifestar nos processos. “Porque o acusado poderá ao final, colhido todo acervo probatório, poderá provar sua inocência. Também caberá a CPI buscar a elucidação dos fatos, por meio de provas documentais, testemunhais, perícia e aí melhor interrogar o prefeito”, explicou.

Ouça a reportagem de Dalila Rodrigues:

Áudio

Tags

Deixe seu comentário!


Mais Notícias