Ex-atleta da seleção brasileira troca judô pela luta-livre e vira estrela nos EUA

Taynara Conti é a primeira brasileira a lutar no WWE. Aos 22 anos, ela integra a divisão de acesso e é comparada às badaladas lutadoras Natalya Neidhart e Renee Young

em 09/11/2017

Quando ela entra no ringue, a galera vai à loucura. Os gritos de "Taynara! Taynara!" tomam conta das arenas e arquibancadas. Nascida no Rio de Janeiro, Taynara Melo de Carvalho, ou melhor, Taynara Conti, como é chamada por seus inúmeros fãs, é uma verdadeira estrela da luta-livre nos Estados Unidos. Na categoria, que mistura entretenimento com interpretação e movimentos de luta, ela vem dando o que falar desde que estreou em maio de 2017 e, ainda que esteja na WWE NXT, divisão de acesso para o WWE, é uma das queridinhas do público, que tem repercutido também a semelhança física e de estilo da jovem de 22 anos com as badaladas Natalya Neidhart e Renee Young. O curioso é que o início dela foi em outro esporte, o judô.

- Eu tinha muitas fotos e vídeos de judô e também de jiu-jítsu nas redes sociais. Eles (WWE) me encontraram e mandaram e-mail para meu fotógrafo, não entraram em contato direto comigo. Eu tinha um fotógrafo francês que fazia fotos e vídeos para mim. E daí ele me contou e eu fui procurar saber e resolvi fazer um teste. Foi através dele, da internet - explicou.

A carioca começou na ginástica artística no Vasco da Gama, mas migrou logo para a arte marcial, para tristeza de sua mãe, que não era favorável à mudança. O pai, contudo, apoiou. Primeiro, Taynara lutou pelo projeto "Brasil vale ouro" e, mais tarde, foi para o Instituto Reação, do judoca Flávio Canto e de onde saiu a campeã olímpica Rafaela Silva. Taynara foi campeã regional e tetracampeã estadual, além disso, foi quatro vezes vice-campeã brasileira. Ela chegou a integrar a seleção brasileira e participou do circuito europeu em Portugal e na Alemanha.

- O mais importante do judô foi o que significou para minha vida pessoal. Graças ao judô eu estudei nas melhores escolas. Minha família não teria condições de pagar. Fiz faculdade com bolsa de estudos de 100%, encontrei o amor da minha vida, fiz amigos que vou levar para sempre e me tornei a mulher que sou hoje. Tudo isso foi graças ao judô - relatou Taynara em entrevista ao GloboEsporte.com.

A migração do judô para a luta-livre, segundo ela, foi dura. Ela estava em má fase na arte marcial e mal participava de competições. Taynara cursava o sétimo período da faculdade e precisava fazer estágios, por isso, não sobrava tempo. A brasileira fez uma pesquisa sobre o WWE e se inscreveu para os testes. Deu certo. Mas a apreensão foi grande. Hoje, ela se diz a "pessoa mais feliz do mundo" por ser a primeira brasileira na modalidade.

- Quando a oportunidade chegou, eu nem sabia direito o que WWE era, então estudei um pouco, assisti e li sobre a empresa, daí decidi que tentaria participar de um teste. No último dia do teste, só sabia chorar. Eu sabia que tinha dado meu máximo e eu senti que era o lugar certo para mim. Lembro de todo mundo se abraçando, rindo e eu só conseguia chorar, sozinha no canto, e pedindo a Deus para fazer tudo dar certo.

O objetivo de Taynara não é só crescer na carreira, mas ajudar a popularizar o WWE no Brasil.

- As coisas vão mudar. Estou trabalhando duro para todo mundo saber o que é o WWE e para abrir as portas para outros brasileiros viverem seu sonho de estar aqui - palpitou a atleta que, recentemente, esteve no torneio feminino Mae Young Classic, mas perdeu na estreia para a americana Lacey Evans.

*GloboEsporte


Tags

Deixe seu comentário!


Mais Notícias