Ex-miss rebate críticas após ser selecionada para medicina na Ufac

em vaga de deficiente

em 14/02/2020

IstoÉ

© Reprodução/ Instagram

A ex-miss Acre Hyalina Lins Farias, de 21 anos, gerou polêmica nas redes sociais após ser selecionada para o curso de medicina na Universidade Federal do Acre (Ufac) por meio de vaga destinada a deficientes. O nome dela aparece na lista da 2ª chamada do Sisu, divulgada na terça-feira (11), no entanto a matrícula dela ainda não está garantida. As informações são do G1.

Alguns dos critérios para a vaga é ter renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e ter cursado o ensino médio em escolas públicas. Nas redes sociais, internautas alegam que a jovem não tem deficiência e possui uma vida de luxo.

De acordo com a miss Acre de 2018, ela sofre de baixa visão desde a infância e atualmente tem 20 graus de miopia. Em entrevista ao G1, Hyalina explicou que mesmo usando lente de contato, não consegue enxergar perfeitamente. Ela afirmou ainda que a família tem baixa renda e que sempre estudou em escola pública.

Hyalina justificou ainda que as viagens que ela posta nas redes sociais são custeadas pelo namorado, que é cirurgião plástico. Atualmente, a estudante cursa Enfermagem na Ufac, mas quer fazer Medicina.

Em nota, a universidade informou que o caso da estudante será avaliado. A Ufac ressaltou que a publicação dos nomes dos candidatos na segunda chamada do Sisu não garante a vaga para os cursos da universidade.

A matrícula para a Ufac começou na quarta-feira (12) e vai até sexta-feira (14). Na primeira fase, os estudantes precisam entregar a documentação exigida. Depois, os inscritos nas modalidades específicas como: deficiência, baixa renda per capita, autodeclarados pretos, pardos ou indígenas; estudantes da rede pública, entre outras, devem apresentar a documentação específica de cada modalidade. Os inscritos como deficientes serão submetidos à Comissão Permanente de Validação dos laudos (CPV/Pcd).



Tags

Deixe seu comentário!


Mais Notícias