Ex-presidente da AL delatou que Emanuel Pinheiro recebeu R$ 2,4 milhões entre os anos 2011 e 2015

'Meu CPF está sujo por gente como ele, que achacava a Mesa'

Por Cíntia Borges

O ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, rebateu as declarações do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), que o acusou de ser “bandido e leviano”. 

Riva afirmou que só pagou propina a deputados estaduais à época porque, como chefe da Mesa Diretora da Casa, era extorquido por parlamentares.    

“Ele sabe o que ele fez, tem a consciência disso. O meu compromisso não é provar nada para ele, o meu compromisso é com a Justiça. O meu CPF deve estar sujo por pessoas como ele, que viviam achacando a Mesa Diretora. E meu único erro meu foi aceitar isso”, afirmou o ex-deputado ao MidiaNews

Em delação premiada, Riva afirmou que Emanuel, enquanto deputado estadual, recebeu um total de R$ 2,4 milhões referentes a propina da Mesa Diretora entre os anos 2011 e 2015.

Emanuel sabe que colocou dinheiro de propina no Paletó e agora que fazer  discurso de autodefesa", diz Riva | O Bom da Notícia
Emanuel Pinheiro e José Riva / Reprodução 

A revelação consta em um dos anexos do acordo de colaboração premiada firmado entre o ex-deputado e o Ministério Público Estadual (MPE). A delação foi homologada em fevereiro pelo desembargador Marcos Machado, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

 

“Tenho consciência tranquila”

Riva afirmou que todos os fatos relatados em sua colaboração condizem com a verdade do que aconteceu à época.

“Graças a Deus eu tenho minha consciência tranquila que tudo que eu imputei a ele é o que de fato deve. Eu tenho que dar satisfação para a Justiça. Ele sabe o que fez, e o mais importante é que ele sabe”, afirmou.

“Não vou dizer que isso atenua o que fiz, mas pelo menos eu tenho falado a verdade. E o meu compromisso é com o Ministério Publico, com a Justiça, e eu tenho feito a minha parte”, emendou.

Em entrevista nessa manhã ao Programa Chamada Geral, Emanuel disse que Riva teria que provar as afirmações feitas à Justiça.

“Ele é o maior ficha suja do País. Que moral ele tem para falar de mim? Prove que deu R$ 3 milhões para o então deputado Emanuel Pinheiro. Cadê esse dinheiro? Larga de ser bandido e leviano. Fala o que quer não prova nada. Diz que pagava por mês e em espécie por isso não poderia provar”, afirmou.

 

Leia também

Deixe seu comentário!