O presidente da ALMT afirma que a vacina é a única forma de sair da pandemia

Botelho defende restrições e atestado para vacina de covid-19

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM), defendeu a implantação de restrições para quem optar não se vacinar contra a covid-19. Botelho foi entrevistado no Jornal da Capital, da Rádio Capital FM, na manhã desta quarta-feira (20.01) e afirmou é contra a vacinação à força, mas enfatizou que é uma decisão coletiva para controlar a pandemia de covid-19 no país. 

“Eu acho que obrigar é complicado, você não vai pegar a pessoa e levar amarrado para vacinar. Acredito que deva existir o bom senso de cada um em vacinar. Mas acho que algumas restrições são necessárias. Você para viajar para fora tem que ter um atestado de vacinação, porque não podemos exigir para quem vai pegar um avião? Uma criança que vai para creche, porque não ser vacinada?”, indaga.

Botelho lembrou que tem um projeto de lei em tramitação na Assembleia para provocar a discussão sobre as restrições para quem não se vacinar e o atestado de vacinação como “passaporte” para viagens, matrículas nas escolas, entre outros. “A ideia é discutir, não politizar, mas ampliar o debate sobre a questão das restrições e a necessidade de atestado”, afirma.

Além da questão de saúde pública, segurança e imunização da população, o presidente Botelho enfatizou que a vacinação precisa ser feita o mais rápido possível, para que a população adquira a imunidade de rebanho, para garantir a retomada da economia, geração de empregos e circulação de moedas de fato aconteça.

“O estado como um todo não sofreu tanto, mas muitas pessoas sofreram, perderam o emprego, fecharam o comércio e não conseguem reabrir, salões de beleza, academias, transporte escolar estão tendo problemas. Nós esperamos que a vacinação seja feita o mais rápido possível para que o comércio volte a funcionar normalmente, gerar empregos e circular a moeda como antes”, apontou. 

Mato Grosso recebeu na última segunda-feira (18.01) cerca de 126.160 doses da vacina contra a covid-19, para atender o público alvo da primeira fase da campanha. Ao todo, serão vacinadas 60.074 pessoas, uma vez que para haver a imunização completa, é necessária a aplicação de duas doses da vacina.

Leia também

Deixe seu comentário!