O cacique, da aldeia Sangradouro, estava internado em estado grave em Primavera do Leste, desde o dia 25 de junho.

Cacique xavante morre após lutar contra covid por 11 dias

Por Vitória Lopes

O cacique xavante Domingos Mahoro, de 60 anos, diagnosticado com covid-19 há 11 dias, não resistiu e faleceu em decorrência da doença na tarde de segunda-feira (6). Após aguardar 3 dias por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ele foi transferido para o Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá.

Arquivo pessoal
Arquivo Pessoal


O cacique, da aldeia Sangradouro, estava internado em estado grave em Primavera do Leste (239 km de Cuiabá), desde o dia 25 de junho. A família de Domingos entrou com um pedido na Justiça para que a transferência dele fosse feita com urgência.

O corpo de Domingos foi levado para a terra indígena Sangradouro, onde será sepultado, mas sem a tradicional cerimônia xavante. Sangradouro fica próximo de General Carneiro e Primavera do Leste.


Mais de 100 xavantes já foram diagnosticados com a doença.


Domingos era uma figura importante no meio indígena, com histórico de luta e voz pelos direitos indígenas em Mato Grosso. Ele foi coordenador da Saúde Indígena e esteve à frente da Cooperativa Indígena.


Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram sua morte. “Depois de mais de 20 anos de amizade, meu amigo, guerreiro xavante Domingos Mãhörõ eo sempre na luta pela autonomia do seu povo, foi vencido pelo Covid19”, escreveu um amigo.


“Domingos e Vinícius, meu filho, que na sua infância muitas vezes me acompanhou na aldeia do Domingos, nadar no Rio Cristalino, Domingos explicou porque usava para o nosso encontro o tipo de madeira que vai na orelha, pois pra cada situação, tem uma madeira diferente de acordo com a cultura, pareceu uma despedida”, relembra.

Leia também

Deixe seu comentário!