Desde de agosto que os cuiabanos não enxergam o céu limpo

Cuiabá amanheceu tomada por cortina de fumaça

Por Ariana Martins

Mais uma vez Cuiabá amanheceu nesta terça-feira (15), coberta por uma densa fumaça, devido os incêndios florestais que atingem o Estados há mais de 50 dias.


Foto: Capital Notícia

Com a fumaça espessa, fica dificil enxergar os prédios. Os cuiabanos não veem o céu limpo há pelo menos 1 mês, já que desde o dia 13 de agosto a capital mato-grossense vivencia esse cenário insalubre.

Em redes sociais tem sido comum a população publicar fotos e vídeos registrando o céu cinza que ofusca a luz do sol.


Foto: Capital Notícia

A capital mato-grossense também ganhou destaque nacional o que causou espanto em telejornais nacionais, como o Hora Um e o Globo News Em Ponto, ambos do Grupo Globo. O Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande (região metropolitana), está operando através de instrumentos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, por conta das diversas queimadas existentes na região da baixada cuiabana, como em Chapada dos Guimarães e na região da Serra de São Vicente, é que Cuiabá está dessa forma.

Estado de Calamidade

Devido a devastação causada pelos incêndios florestais em Mato Grosso, o Governo do Estado decretou, nesta segunda-feira (14), estado de calamidade. O decreto vai permitir ao Estado dobrar a estrutura para a prevenção, combate e autuação dos incêndios no Estado, especialmente na região pantaneira.

O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes, após reunião com os secretários Alexandre Bustamente (Segurança Pública), Mauren Lazzaretti (Meio Ambiente) e com os comandantes do Corpo de Bombeiros, coronel Alessandro Borges, e da Defesa Civil, coronel Cesar Viana Brum.

Mendes ressaltou que o Governo do Estado tem planejado e atuado nessa frente desde março, sendo que hoje há em torno de 2500 profissionais envolvidos no combate, “das forças de Segurança, da Defesa Civil, dos Bombeiros, voluntários e até no Exército Brasileiro”. Além disso, mais de R$ 22 milhões, de recursos próprios, já foram investidos para o combate às queimadas neste ano.

Para também auxiliar as equipes de trabalho, será permitido o uso de retardante para controlar o fogo. A utilização da substância já foi testada pelo Corpo de Bombeiros e aprovada pela equipe técnica da Secretaria de Meio Ambiente. 

Mendes reforçou a política de Tolerância Zero para quem causar incêndios de forma criminosa. Somente de janeiro a agosto, já foram aplicados R$ 107,3 milhões em multas pelo uso irregular do fogo e R$ 805 milhões por desmatamento ilegal. 

Outra ferramenta que tem sido usada é o sistema de monitoramento via satélite, que detecta os focos de calor quase em tempo real. Com esses dados, já foi possível realizar perícia em várias regiões aonde ocorreram incêndios, inclusive o Pantanal.

Recentemente já foram divulgados os dados que comprovaram que os incêndios ocorridos nos 40 mil hectares da reserva particular, em Barão de Melgaço (Sesc Pantanal), na Fazenda Espírito Santo, Rodovia Transpantaneira e na Fazenda São José, foram provocados por ação humana.

 

Leia também

Deixe seu comentário!