Emanuel confirma que irá recorrer de decisão e ironiza oferta de consultoria a Mendes

O prefeito ainda questionou a capacidade administrativa do governador

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou, nesta quarta-feira (03.03), que irá recorrer da decisão do desembargador Orlando Perri, que anulou partes do decreto municipal que flexibilizava o toque de recolher em Cuiabá. Em transmissão ao vivo nas redes sociais, o emedebista ainda atacou o governador Mauro Mendes (DEM), ao questionar a capacidade administrativa do democrata e ainda ofereceu ‘uma consultoria’.

“Determinei a procuradoria que ainda hoje a noite recorra junto ao Supremo Tribunal Federal para tentar reformar a decisão. Vamos recorrer deveremos estar impetrando ainda hoje o recurso. Esse recurso eu entro em homenagem ao setor produtivo e aos trabalhadores. Se eu fica três ou quatro meses em home office ou lockdown o meu salário vai cair na conta, assim como do governador. Não é por mim, é por quem precisa produzir”.

Ainda durante o pronunciamento, Emanuel questionou a capacidade administrativa do governador, que é empresário, e ofereceu uma ‘consultoria’, após ter sido cobrado pela abertura de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs).

“De líder não tem nada e diz que é empresário, se fosse estaria entendendo a dor dos seus colegas empresários e a dor e angústia dos trabalhadores com medo de perder emprego. Eu sei que o senhor é despreparado, mas aí é demais, o senhor pedir que eu abra leitos. Sem a sua arrogância eu quero dar uma consultoria para o senhor. Leitos de UTI são alto custo, responsabilidade do Estado e da União”, disparou Emanuel.

 Desde o início da semana, Emanuel cumpre agenda em Brasília. Ainda nesta tarde, após decisão do TJ, Mauro Mendes também se manifestou e voltou a chamar o prefeito de irresponsável, por segundo ele, expor os cidadão cuiabanos ao risco de serem infectados pela covid-19.

“É muito lamentável. Em 2020, quando tinha um único caso, ninguém internado na UTI, o prefeito fez lockdown geral em Cuiabá. Tem lógica isso? Isso é uma irresponsabilidade. Agora que estamos com as UTIs todas fechadas, lamentavelmente ele vem querer flexibilizar”, disse o governador, após entregar o balanço das contas de 2020, no Tribunal de Contas do Estado.

 

Leia também

Deixe seu comentário!