Prefeito disse que medidas vão evitar a proliferação da covid-19

Emanuel quer transformar carnaval em dias úteis e cancelar alvarás de boates que promovem aglomeração

Preocupado com uma possível segunda onda e com a proliferação do coronavírus em Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) decidiu manter o decreto de cancelamento do carnaval, avalia transformar o feriado em dias úteis e está elaborando um projeto de lei para punir, com o cancelamento de alvará de funcionamento, os donos de boates e bares que promovem aglomeração.

Segundo o calendário montado pelo município e divulgado no fim do ano passado, o feriado de carnaval iria acontecer nos dias 15 e 16 de fevereiro, ou seja, em dois dias de semana (segunda e terça-feira).

Com o cancelamento, o prefeito pretende transformar o feriado em dias úteis, não liberando os servidores e funcionários da iniciativa privada que moram no município para comemorarem a tradicional data sem trabalhar.

“O decreto de cancelamento do carnaval está mantido. Só não está decidido ainda se será dia normal ou não o carnaval. Estou querendo transformar o carnaval em dias úteis. Estamos decidindo isso ainda, mas o carnaval está cancelado em Cuiabá, não tem nem como ter”, disse o prefeito durante início da vacinação na capital, nesta quarta-feira (20.01). 

O chefe do Executivo ainda comunicou que irá encaminhar ao presidente da Câmara Municipal Juca do Guaraná Filho (MDB), um projeto de lei para punir severamente donos de estabelecimentos que estão promovendo aglomerações, como vem acontecendo em bares e boates da capital.

De acordo com o prefeito, a proposta tem como objetivo suspender ou até cancelar o alvará de funcionamento de boates que não cumprirem as determinações de distanciamento, limite de lotação e horário de funcionamento, estabelecidos pelo município.

“Estou produzindo um projeto, vou entregar ao vereador Juca do Guaraná, com relação as casas de espetáculos, boates e congêneres que tem superlotado e provocado a indignação da sociedade cuiabana, tanto pela irresponsabilidade dos proprietários, quanto dos seus clientes”, afirmou.

“Para estas situações de aglomerações que estamos assistindo constantemente e que é o grande foco de propagação do vírus, nós estaremos fazendo uma lei específica para o período da covid-19 que vai da advertência, suspensão, ou cancelamento do alvará de funcionamento, além de uma multa bem pesada”, finalizou.

Leia também

Deixe seu comentário!