Abusos ocorriam no local de trabalho da mãe; vítima tem debilidade neurológica.

Homem é preso acusado de estuprar menor com deficiência

Redação

Um homem, de 21 anos, acusado de estuprar uma menina de 12 anos em Cáceres (225 km a oeste de Cuiabá) foi preso pela Polícia Civil do Município. O caso ocorreu no sábado (8).

As diligências iniciaram no mês de maio, quando a mãe da vítima procurou a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DDM) da cidade para denunciar os abusos sofridos pela filha, que tem debilidade neurológica e mentalidade de uma criança de oito anos.

A mãe informou que começou a trabalhar no estabelecimento comercial do seu sogro. Como não tinha com quem deixar os filhos, passou a levar as crianças para o trabalho. 


Reprodução

No dia 15 de maio, ela percebeu que a garota havia sumido e passou a procurar pela menina, quando avistou alguém tentando segurar o braço da filha dentro no estabelecimento. Na sequência, a menor saiu da câmara fria do local muito assustada e com os olhos cheios de lágrimas. 

A vítima, aparentando estar com medo, contou para a mãe que um dos funcionários havia lhe puxado e beijado à força na boca. E que em outra ocasião, a menina estava sentada sozinha na cozinha pintando e o suspeito passou as mãos em sua genitália. 

Diante dos relatos, a equipe da Delegacia Especializada passou a investigar os fatos. Durante os depoimentos colhidos, o irmão da vítima afirmou que não presenciou os abusos, porém revelou que o suspeito a todo tempo fazia de tudo para ficar só com a menor, mandando que o irmão pegasse água ou então ficasse cuidando do cachorro do vizinho.

Com base nos indícios e provas da prática criminosa, a delegada Judá Maali Pinheiro Marcondes representou pelo mandado de prisão do suspeito, deferido imediatamente pela Justiça. Após a expedição do mandado, os policiais civis localizaram o investigado no bairro Jardim Paraíso. 

O suspeito foi conduzido à unidade policial e interrogado pela delegada. Posteriormente, foi encaminhado para a unidade prisional em Cáceres, ficando à disposição do Poder Judiciário.  

Leia também

Deixe seu comentário!