O magistrado decretou o afastamento da função como medida cautelar.

Juiz afasta 'vereador do tráfico' de função pública

ESTADÃO MATO GROSSO

O juiz da Terceira Vara Criminal de Várzea Grande, Moacir Rogério Tortato, afastou o vereador Calistro Lemes do Nascimento, o “Jânio Calistro” (PSD), de suas funções públicas. O parlamentar foi preso em dezembro numa operação policial contra o tráfico de drogas. No último dia 20 de março, Calistro ganhou a liberdade por meio de um habeas corpus. O magistrado decretou o afastamento da função como medida cautelar. A decisão é do último dia 21.

Ao proferir o afastamento do vereador, o juiz ponderou que é uma medida para evitar qualquer fator que atrapalhe o bom andamento do processo. Além disso, o magistrado também citou que há fortes indícios de que o cargo ajudou Calistro a cometer os crimes de tráfico e, portanto, continuar com sua função pública pode colaborar à perpetuação dessas mesmas práticas.

O vereador foi posto em liberdade pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Gilberto Giraldelli. A motivação para acolhimento do pedido de habeas corpus foi a recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que acolheu às orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, que emitiram uma série de orientações para o combate à pandemia causada pela Covid-19, doença surgida a partir do novo coronavírus.

Durante as investigações, os policiais verificaram que o envolvimento do vereador era tamanho que chegou a sugerir que um de seus comparsas, João Vanderson, o “Peruca”, roubasse uma carga de drogas de dois bolivianos que chegariam a uma propriedade rural situada na região do Sucuri. A carga seria avaliada em R$ 1,8 milhão e o vereador teria sugerido ainda que, caso fosse necessário, os bolivianos fossem assassinados.

Além disso, os policiais também teriam flagrado outra conversa entre o parlamentar e o “Peruca” em que um carregamento de 63 quilos de droga estava prestes a chegar. Pelo valor da carga, R$ 600 mil, os policiais acreditam se tratar de cocaína.

Leia também

Deixe seu comentário!