Lutadores de luta livre forçam pessoas a usarem máscaras em mercado; veja o vídeo

Grupo invadiu o local para combater desinformação

Um grupo de lutadores mascarados invadiu o principal mercado da Cidade do México nesta sexta-feira (12) para combater um inimigo em comum: a desinformação.

Terceiro com mais mortes por Covid-19 no mundo, o país enfrenta o negacionismo em diversas áreas da sociedade. Até mesmo o presidente López Obrador se recusa a usar máscaras contra o vírus.

"Não vou usar máscara porque não me contagio mais", disse Obrador em sua primeira entrevista coletiva depois de se recuperar de uma infecção pelo coronavírus, em fevereiro.

Mesmo depois de ter se infectado, ou até mesmo recebido a vacina, ainda é possível transmitir o vírus para pessoas que não receberam a proteção.

O uso correto de máscaras, higiene das mãos e distanciamento social – além das vacinas – são as únicas formas conhecidas para se evitar a contaminação pelo coronavírus Sars-Cov-2.

Com a suspensão dos tradicionais torneios, os lutadores conhecidos por suas máscaras extravagantes foram ao principal mercado da capital mexicana para defender o uso do equipamento de proteção.

"Ponha a máscara", diziam os artistas entre as lojas do Centro de Abasto, maior mercado central da América Latina.
O ringue é outro, mas o desafio é ainda maior: convencer tanto os clientes como comerciantes a usarem máscaras e álcool em gel agora que o México reabriu suas atividades.

O México foi um dos primeiros países a começar sua campanha de vacinação, na véspera de Natal do ano passado, mas é um dos que avança mais lentamente na aplicação das doses.

Até o momento, o México, com uma população de mais de 126 milhões de habitantes, distribuiu apenas 3,8 milhões de doses.

Com mais de 2,1 milhões de infectados, ao menos 192 mil mexicanos morreram por complicações da Covid-19 em mais de um ano de pandemia.

Veja o vídeo produzido pela SBS News:

 

Leia também

Deixe seu comentário!