Senador Jayme Campos critica Bolsonaro

Parlamentar também questionou Pazuello à frente da Saúde

Senador por Mato Grosso, Jayme Campos (DEM) fez durar críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), citando a falta de planejamento para enfrentar a pandemia e para efetuar a compra das vacinas contra a covid-19. As declarações foram dadas à Rádio CBN Cuiabá nesta terça-feira (02.03).

Jayme afirmou que Bolsonaro passou de um presidente “incompetente” para ser agora um gestor “impotente”, criticou a falta de conhecimento técnico do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e disse que o ex-ministro Henrique Mandetta tinha razão ao fazer as projeções alarmantes em relação à evolução da pandemia.

Para Jayme, Bolsonaro politizou toda questão pandêmica do país contra o governador de São Paulo João Dória (PSDB), ao qual o senador fez elogios relacionados ao planejamento vacinal do Estado.

 

Veja os principais trechos da entrevista:

 

Pandemia no Brasil

Este é um momento trágico para o planeta Terra. Essa pandemia veio muito perversa, já matou quase 260 mil brasileiros e nenhum país estava preparado. Mas acho que no Brasil houve um descuido por parte das autoridades, principalmente por parte do Governo Federal, que numa forma irresponsável não fez nenhum planejamento. Lá no início, quando começou a pandemia, o ministro Mandetta já tinha ‘rezado a missa’. Ele dizia que tínhamos que respeitar a ciência na medida que essa pandemia não seria resolvida da noite para o dia. Mas não deram muita atenção, acharam que ele queria se autopromover para ser candidato no futuro e desrespeitaram todas as regras possíveis que a ciência já havia falado, e só os menos esclarecidos não entendiam.

 

Condução de Bolsonaro

O próprio presidente da República sempre contestou [as medidas de biossegurança], achou que não tinha que ter distanciamento, máscara, que devia tomar Ivermectina, tudo, menos um tratamento adequado e deu no que deu. Chegamos em um momento que foi estrangulado todo sistema de saúde, tanto público como privado. É uma crise sem precedência, em que o governo se transformou de incompetente a impotente. Bolsonaro tem que dar bons exemplos, mas estava tomando banho esses dias em um balneário, andando de lancha juntos com as pessoas. Semana passada estava no Ceará desfilando em cima de caminhonete sem máscara. Ele tem que dar bons exemplos!

 

Vacinação

Atrasou muito na compra das vacinas. Se transformou em um jogo político à medida que o presidente da República já antecipou as eleições de 2022, e entrou batendo de frente com o governador de São Paulo, que pra mim, falem o que for do João Dória, mas ele se preocupou com bastante antecedência. Haja vista que o governo ajudou na aquisição dos insumos para produzir as vacinas. Nesse ritmo do Brasil, talvez vamos ultrapassar os Estados Unidos em número de infectados. Ainda não vacinamos nem 2% da população. Quando vamos vacinar todos? Daqui 20 anos?

 

Instabilidade nos ministérios

O Governo federal tem que se preocupar mais. Já foram três ministros da Saúde modificado. O Pazuello pode ser estrategista, mas lá no Exército, e não pra ser ministro da Saúde. Qual conhecimento e preparo da ciência médica ele tem? Ele não tem! Ele não estava preparado para enfrentar essa pandemia. Eu, se fosse convidado, jamais aceitaria, assim como qualquer pessoa com o mínimo de consciência.

Por Ana Adélia Jácomo

Leia também

Deixe seu comentário!