Solidariedade em tempos de pandemia

Nos últimos tempos temos visto nas redes sociais e na mídia em geral, as manifestações voluntárias de inúmeras pessoas que disponibilizaram seu tempo para fazer o bem ao próximo. E fazer o bem é algo que brasileiro gosta muito, está no nosso sangue, na alegria do nosso povo.

Eu vejo muitos amigos realizando ações, na qual eu me incluo também, pois como ser humano e como profissional da área da odontologia, me encaixo numa parte da população que se preocupa com o próximo e de como podemos transformar o mundo a nossa volta diante de simples gestos que pode ser de um alegre “Bom dia, como vai?” a alguém que está passando, ou até mesmo conseguir alimentos para quem precisa, e tem muita gente precisando – acreditem.

A solidariedade parte exatamente do princípio de ajudar ao outro. De contar com a generosidade de cada um de nós. De abrirmos o coração para enxergar que além dos nossos privilégios, existe uma camada da população que precisa da nossa ajuda, todos os dias.

A pandemia do Covid nos afastou das pessoas, do convívio social e isolou muitas famílias que perderam empregos, ou não conseguiram mais desenvolver suas pequenas atividades de sustento familiar.

O mundo, o Brasil passa por uma recessão que nunca imaginávamos, e que afeta a todos nós, inclusive o ramo da odontologia, que é serviço essencial em se tratando da saúde bucal, mas que também está no meio desse grande impacto que o corona vírus causou ao planeta.

Neste momento os profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate ao COVID também precisam de solidariedade pois deixaram suas famílias para se dedicar integralmente a ajudar aos pacientes em clinicas, hospitais, laboratórios numa luta incansável na batalha do trabalho diário.

Para você que está lendo este artigo e imaginando em como ajudar, vou deixar algumas ideias básicas que podem ser simples, mas fazem uma diferença enorme na vida das pessoas:

1.Ajude os trabalhadores autônomos: pense nas pessoas que dependiam exclusivamente dessa renda, diaristas, professores particulares, doceiras, costureiras, etc, e compre esses produtos e serviços novamente.

 2.  Faça compras para seu vizinho do grupo de risco: coloque um bilhete onde você mora (elevador, portas de entrada) ou divulgue na internet; “Queridos vizinhos idosos ou em grupo de risco para o coronavírus, fico à disposição de vocês para ir ao mercado e/ou farmácia, caso precisem de algo. Atenciosamente, José Renato Tetilla  apto. 001.” 

3. Ofereça aulas on-line de alguma habilidade sua gratuitamente, muita gente precisa de algo que você ensine e que talvez você nem imagine isso.

4. Organize arrecadação de alimentos, tem muitas famílias extremamente necessitadas passando dificuldades sem ter o que comer em casa.

5. Adote um idoso que mora sozinho bata na porta, ligue, pergunte em que você pode ajudar. Existem inúmeros idosos abandonados pelas famílias. 

Como vocês viram, ideias simples que podem mudar o mundo.

Você pode ser uma das pessoas que estará ajudando o mundo a ser melhor e consequentemente, o ser humano a evoluir para um planeta de solidariedade e amor.

Pense nisso!

Dr. José Renato Tettila CROMT 4734 / Especialista em Implantodontia - Prótese Dentária - Saúde Pública - Odontologia Legal / Intagram: @dr.tetilla

Leia também

Deixe seu comentário!